background

25 de abril de 2018

DECRETO PARA A COOPERAÇÃO DOS REINOS ANGÉLICO, ELEMENTAL, E HUMANO



Em Nome da Única Presença Universal manifestando-se através de todos os Reinos de Expressão, Anjos, Elementais e a Humanidade.

Nós demandamos a Força da Realidade Divina - UM em TODOS, TODOS em UM - para remover da consciência da humanidade toda incerteza e conceitos distorcidos relacionados com os Reinos Angélico e Elemental.

CARREGAI! CARREGAI! CARREGAI! a humanidade com a certeza da Fraternidade entre os Reinos como se conhece e se vive nas Esferas de Luz, o Reino Divino manifesta-se na Terra como é nos Céus!

Nós agora expandimos, expandimos, e para sempre expandimos nossos sentimentos de Gratidão e Amor para com os Anjos e Elementais, pelo Seu apoio ilimitado à nossa existência neste planeta ajudando desse modo nosso caminho à Mestria.

Fazemos este Chamado como Uma só Presença Crística em toda a humanidade no SAGRADO NOME DE DEUS "EU SOU".

E Assim é!

*******


Fonte: Livro de Decretos - Grupo Avatar. J. Milton's Editora e Distribuidora Ltda. ©FEEU1994 Os direitos Autorais desta edição foram cedidos à FEEU (Fundação Educacional e Editorial Universalista) pelo Grupo Avatar.

23 de abril de 2018

SABEDORIA DIVINA DA NATUREZA - EP 30 - CRAVO-DA-ÍNDIA



EPISÓDIO 30

O episódio de hoje é sobre o tão conhecido Cravo-da-índia, também conhecido como craveiro-da-índia, cravina-de-túnis, cravo-de-cabecinha, cravoária e rosa-da-índia. É uma planta que cresce em países tropicais.

Desta planta se exploram as flores ainda não desabrochadas e que possuem um aroma forte e inconfundível. É desde tempos remotos uma especiaria usada na culinária e também como tratamento medicinal. Oriunda das ilhas Molucas na Indonésia, foi também ao longo de muitos anos considerada como afrodisíaco natural. 



A planta que produz o cravo da Índia pode produzir frutos durante mais de meio século, chega a tingir os 15 metros de altura e é considerada adulta por volta dos vinte anos de idade. A colheita do cravo da Índia é realizada duas vezes por ano, sendo a primeira no final do verão e a segunda em meados do Inverno.


O nome científico antigo do cravo-da-índia, Eugenia caryophyllata Thunb., deriva da palavra grega "karyophyllon" que significa "folha-noz". Da China é que veio a primeira indicação do uso do cravo-da-índia como condimento, remédio e elemento básico para elaboração de perfumes especiais e incensos aromáticos.


- Receita de chá de cravo

Ingredientes

1 colher de sopa de cravos;
1 litro de água.

Modo de preparo:

Em um recipiente, coloque a água e os cravos e leve ao fogo. Quando levantar fervura, desligue, tampe e deixe por mais 10 minutos, deixando amornar. Coe e consuma em seguida.

- Receita de chá de cravo com canela

Ingredientes:

1 punhado de cravos da índia;
3 pedaços de canela em pau;
1 litro de água.

Modo de preparo:

Coloque a canela, o cravo e a água em um recipiente, e leve ao fogo até alcançar fervura. Em seguida, desligue o fogo, tampe e deixe descansar por 5 minutos, coe e consuma quente ou frio.

- Receita de chá de cravo com gengibre

Ingredientes:

3 colheres de sopa de gengibre ralado;
1 litro de água;
1 colher de sopa de cravos da índia.

Modo de preparo:

Leve a água para ferver com o gengibre. Quando ferver, diminua o fogo, adicione o cravo e deixe por uns 2 minutos. Desligue, tampe e deixe por mais 5 minutos. Sirva quente ou morno.


-----------

Pó de Cravo-da-Índia

Pode utilizar pó de cravo-da-índia para dar um toque final a um prato especial. O cravo em pó pode ser utilizado em bolos, tortas, doces, biscoitos ou até em pratos salgados e no preparo de carnes especiais.

-----------

Fitoenergética

Tem polaridade Yang e atua principalmente no 6º chakra.

Estimula a concentração; aumenta a capacidade de concentrar energia para materializar sonhos; abre a mente para enxergar o todo; estabiliza a mente com um nível mental acelerado e de alta frequência. Estimula a busca interna de respostas para suas dúvidas. Gera clareza nos pensamentos e senso de observação aguçado.


Restrições quanto à Fitoterapia: devem ser evitadas altas doses na gestação, pois causa contrações uterinas.


Receita de Shampoo caseiro com Cravo-da-Índia:

Numa panela colocar meio litro de água
1 colher de sopa de bicarbonato de sódio
10 Cravos-da-Índia

Deixar ferver um pouco até diluir o bicarbonato.

Desligar o fogo tampar a panela e deixar arrefecer algumas horas. Pode acrescentar algumas gotas de um óleo essencial de sua preferência. Guardar numa garrafa/recipiente.

Propriedades medicinais

Analgésico e antisséptico: o chá de cravo-da-índia, além de ser saboroso, pode ajudar a amenizar dores de cabeça, cólicas menstruais, candidíase oral, baixar a febre, aliviar dores de dente e inflamações de garganta.

Acelera o metabolismo: aumenta a produção de saliva e dos líquidos responsáveis pela digestão, o que promove a queima rápida de gordura. O cravo ajuda também em casos de náuseas e mal-estar estomacal.

Antioxidante: o cravo-da-índia é um excelente antioxidante porque possui grande capacidade de liberar hidrogênio e reduzir consideravelmente a peroxidação lipídica, que é a quebra das gorduras poli-insaturadas.

Antisséptico bucal: o chá é usado no tratamento de bactérias na boca e no estômago e age, principalmente, contra o mau hálito.

Contribui para o bom funcionamento da tireoide: mais um aliado para ajudar quem sofre de  hipotireoidismo. Para quem não tem disfunção da tireoide, o cravo é também preventivo contra o surgimento dessa disfunção, seja para hipotireoidismo ou hipertireoidismo.


Controle do colesterol: o cravo ajuda também no controle do colesterol ruim sendo também antiviral e antifúngico.

-----------

O consumo de chá de cravo tem sido utilizado para aliviar a dor abdominal. Tem qualidades analgésicas que funcionam bem para aqueles que sofrem de dores de gases ou outras chateações no estômago. Cravos estimulam o fluxo sanguíneo, a produção de saliva e secreções gástricas para ajudar na digestão. Além disso, ele tem efeitos anti-eméticos (contra náuseas). Chá de cravo também tem sido usado para matar os parasitas intestinais e funciona igualmente bem matando as bactérias e infecções por fungos, como candidíase oral.


O chá de cravo pode ser usado em banhos de assento, para tratar e prevenir problemas ginecológicos como desconforto, secura, dores e infecções, além de algumas doenças sexualmente transmissíveis (DSTs).

-----------

O óleo essencial de cravo-da-índia é utilizado em shampoos e loções capilares que limpam e auxiliam o crescimento dos fios. O eugenol, um dos principais constituintes do óleo essencial presente na especiaria, é responsável pela atividade antimicrobiana.


O óleo essencial do cravo-da-índia pode ser usado também em dentes cariados ou com suspeita de cárie. Para isso, em solução oleosa de 10% mergulhe uma gaze ou algodão e aplique nos dentes cariados.


-----------

Contraindicações

Remédios à base de cravo nunca devem ser usados por mulheres grávidas, pois provocam contrações uterinas. Também deve ser evitado o seu uso exagerado, e a sua aplicação em zonas mucosas irritadas. Além disso, quem tem o estômago mais sensível também deve usá-lo com moderação.


Fonte: GIMENES, Bruno J. Fitoenergética – A Energia das Plantas no Equilíbrio da Alma. 6ª ed. Nova Petrópolis: Luz da Serra Editora, 2012.

https://nplantas.com/cravo-da-india-origem-botanica/

http://natureza-interior.blogspot.com.br/2012/07/cravo-da-india.html

http://www.jardimdeflores.com.br/floresefolhas/a20cravoindia.htm

http://www.mundoboaforma.com.br/como-fazer-cha-de-cravo-receita-beneficios-e-dicas/

https://belezaesaude.com/cravo-da-india/

Colaboração: Maria Isabel (Terapeuta Fitoenergética)  curaverde.fitoenergetica@gmail.com



DEMAIS EPISÓDIOS AQUI

16 de abril de 2018

PLANTAS QUE ATRAEM FADAS



Abaixo estão as principais plantas que atraem os seres da natureza conhecidos como fadas, os trabalhadores sutis, e seus dirigentes dévicos/angélicos.


Lavanda; Rosa; Alecrim; Sálvia; Mimosa; Violeta; Verbena; Prímula; Tomilho; Manjericão; Madressilva; Campainha; Girassol; Tomate-cereja; Morango; Maçã; Acerola; Romã; Peônia; Musgo-irlandês; Margarida; Mirtilo; Trevos; Heliotrópio; Samambaia; Dedaleira; Magnólia; Lilás;  Cerejeira; Avelã; Framboesa; Camomila; Crisântemo; 
Dente-de-leão; Calêndula; Jasmim; Jacinto-silvestre; Hortelã;  Gerânio; Artemísia; Lírio; Orquídea.


Lindas conexões a todos! Namastê!




*Agradecimento especial às queridas Mara Aparecida Túbero e Maria Isabel, pela inspiração e colaboração. Gratidão!*



11 de abril de 2018

DECRETO - ABENÇOANDO OS SERES ELEMENTAIS E OS QUATRO ELEMENTOS



Visionary Art by Gilbert Williams

ABENÇOANDO OS SERES ELEMENTAIS

Amada Presença de Deus "EU SOU" e Amado Maha Chohan ABENÇOAI a todos os pequenos trabalhadores internos do meu corpo com Vosso Grande Amor para que eles estejam confortáveis em seu serviço à minha corrente de vida, ABENÇOAI também os pequenos elementais dos corpos de toda a humanidade e que sintamos sempre conforto e harmonia em nossos veículos físicos, nós vos agradecemos.

E Assim é! Gratidão!


 ABENÇOANDO OS QUATRO ELEMENTOS

Amado Cristo Interno "EU SOU" em meu coração, atrai desde o Grande Sol Central o Poder do Amor e as Bênçãos e vertei-os sobre todos os seres dos Quatro Elementos, abençoai os gnomos, ondinas, silfos e salamandras e a todos os Grandes Seres encarregados deles, fazei com que os Quatro Elementos sejam sempre meus amigos e co-trabalhadores na Luz e que seja restabelecida a amizade e a cooperação entre a humanidade e os Seres Elementais. Que assim seja, Amado "EU SOU".

*******

Fonte: Livro de Decretos - Grupo Avatar. J. Milton's Editora e Distribuidora Ltda. ©FEEU1994 Os direitos Autorais desta edição foram cedidos à FEEU (Fundação Educacional e Editorial Universalista) pelo Grupo Avatar.

9 de abril de 2018

SABEDORIA DIVINA DA NATUREZA - EP 29 - MORANGO



EPISÓDIO 29

O episódio de hoje é sobre o tão conhecido e tão amado Morango, é o fruto de uma planta da família Rosaceae, a mesma das rosas, maçãs, pêras e cerejas. É uma planta nativa das terras temperadas da Europa, mas que hoje em dia é cultivada com sucesso em grande parte do mundo. Na era romana, era valorizado por suas propriedades terapêuticas e praticamente servia para todos os tipos de doenças. Começaram a ser cultivados no século XIII. O jardineiro de Luis XIV cultivava morangos em Versalhes. Seu cultivo passou a ser popular no século 18 e mais de 600 espécies foram desenvolvidas. Curiosamente, a parte carnosa do morango, a que comemos, não é o fruto mas o resultado do inchaço dos talos da planta. O fruto verdadeiro é a semente amarela que fica incrustada na superfície da parte carnosa. Apesar de inicialmente serem cultivados pelos romanos em 200 a.C., os morangos eram raros até o fim do século XVIII, pois sua produção era difícil. O consumo popularizou-se só com o surgimento de uma nova espécie, de fácil reprodução e cultivo, na verdade um híbrido: os morangos consumidos atualmente (Fragaria ananassa) surgiram de um cruzamento casual entre duas espécies americanas levadas à região de Brest, na França.



Fitoenergética

Tem polaridade Yin e atua nos Chakras: 1º ao 4º

Elimina a carência afetiva, acalma a dor por perda emocional forte, como falecimento, fim de um relacionamento ou uma notícia ruim. Gera amor incondicional e paz na família. Libera os sentimentos reprimidos e corta laços com pessoas já falecidas.

Tarot da Fitoenergética - Maria Isabel

CHÁ E SUA FUNÇÃO FITOENERGÉTICA:

É a função do chá relacionada ao poder oculto, ou à energia sutil da planta que atua na alma humana, no campo dos pensamentos, sentimentos, emoções e até no campo espiritual.

Para usar a Fitoenergética, você também precisa saber combinar as plantas de acordo com as suas faixas de frequência e montar um composto com a polaridade correta. Contudo, uma simples oração no momento do preparo já será suficiente para que a fitoenergia seja ativada.

Chá de morango:

Corte e amasse 8 morangos;
Despeje a fruta em ½ litro de água quente;
Acrescente dois cravos-da-índia e canela em pau a gosto;
Depois de alguns minutos de repouso, adicione mel e está pronto seu chá!

Chá das folhas de morango:

Ferva 200ml de água filtrada;
Apague o fogo e adicione um punhado de folhas secas ou frescas de morango;
Feche o recipiente e deixe a água absorver os nutrientes por cinco minutos;
Adoce com mel se preferir, e beba.

A dica é não amassar as folhas secas para deixar o sabor do chá de morango melhor.




Mandala Fitoenergética para atrair um grande Amor!

O vídeo abaixo muito bem explicado pela querida Patrícia Cândido que juntamente com o Bruno Gimenes são cofundadores do canal Luz da Serra (Site aqui). Ela nos ensina a preparar uma mandala fitoenergética para atrair muito Amor e um relacionamento afetivo usando a energia do morango e outras plantas maravilhosas.





Propriedades medicinais

O Chá de Morango contem antioxidantes e polifenóis, ele têm muitos outros nutrientes, vitaminas e minerais que contribuem para os benefícios gerais para a saúde. Esses nutrientes incluem vitamina C, vitamina A, vitamina E, além de folato, potássio, manganês, fibra dietética e magnésio. 

- Combate a constipação;
- Previne doenças no coração;
- Ajuda a tratar anemia;
- Combate a asma;
- Alivia dores de artrite.

O consumo do caule do morango com frequência é associado ao fortalecimento da imunidade.

As folhas têm ação mais interessante no aparelho digestivo, porque contêm alcaloides e taninos. Seu chá minimiza o estresse estomacal, aliviando dor, cólica, inchaço, diarreia, náuseas etc.


Outra boa notícia é que o chá de morango é encontrado com facilidade em alguns mercados e lojas de produtos naturais – vendido em pó ou sachê. Isso caso você não queira preparar seu próprio chá a partir das receitas acima.


Contraindicações

Ainda não há nenhum conhecimento sobre efeitos colaterais indesejáveis, restrições, e reações adversas relacionado ao consumo desse chá. Porém, se houver a ingestão excessiva deste chá e da fruta, pode haver reações adversas.



Fonte: GIMENES, Bruno J. Fitoenergética – A Energia das Plantas no Equilíbrio da Alma. 6ª ed. Nova Petrópolis: Luz da Serra Editora, 2012.

http://resumos.netsaber.com.br/resumo-101767/qual-a-origem-do-morango-

https://www.naturalcura.com.br/beneficios-do-cha-de-morango/

http://chasbrasil.com/cha-de-morango/

https://paralemdoagora.wordpress.com/2014/12/18/a-parabola-dos-morangos/

Colaboração: Maria Isabel (Terapeuta Fitoenergética)  curaverde.fitoenergetica@gmail.com


DEMAIS EPISÓDIOS AQUI

6 de abril de 2018

25 ÁRVORES PARA PLANTAR SEM MEDO DE PREJUDICAR A CALÇADA E A REDE ELÉTRICA



"Plantando uma árvore você planta uma vida em um solo sagrado.”

Árvores são organismos especiais e fundamentais em todos os lugares, pois, além de embelezar, elas possuem um importantíssimo papel no equilíbrio térmico, refrescando onde quer que estejam.

Elas também colaboram com a redução da poluição sonora e do ar e ainda fornecem sombra, refúgio e alimento para as aves. São inúmeros benefícios que não param por aqui pois ainda poderíamos citar a produção de oxigênio, proteção contra ventos, fixação de carbono, etc. Mas não podemos esquecer que a escolha correta da espécie para o plantio em calçadas é fundamental.

Primeiramente, se você deseja plantar uma árvore na sua calçada, deve procurar a prefeitura. Muitas delas tem um plano de arborização urbana, com espécies de árvores indicadas por profissionais capacitados, pois é muito importante prestar atenção na escolha da árvore. Se for plantar no quintal avalie se não há nenhuma tubulação subterrânea.

Então escolha bem. Uma árvore é para além da vida toda.


Confira uma lista com 25 espécies que são indicadas para calçadas. As espécies que alcançam até 10 metros são boas para calçadas com fiação elétrica, enquanto as maiores podem ser plantadas em calçadas sem fiação.

01. Noivinha: Euphorbia leucocephala
      
Ela também é conhecida por outros nomes populares como: mês de maio; neve da montanha; cabeça branca; leiteiro-branco; cabeleira-de-velho; flor-de-criança e chuva-de-prata. Durante o mês de maio, suas folhas verdes, ficam brancas, tornando-a linda e encantadora. Em junho suas folhas já voltam a coloração verde. É uma árvore de porte pequeno, que não atinge 3 metros. Não agride a calçada e nem prejudica a fiação elétrica.

01

02. Ipê: Tabebuia sp

Os ipês são árvores de grande porte, com raízes profundas que não danificam as calçadas e exigem poucos cuidados. É muito usado como árvore decorativa devido à sua florescência colorida e anual. Gênero de árvores, em sua maioria nativas, decíduas, de tronco e ramagem elegantes. Sua madeira é resistente e o florescimento exuberante nas cores amarelo, branco, rosa e roxo. Os ipês atingem de 10 a 35 metros, dependendo da espécie. São adequados para calçadas sem fiação elétrica.

02
03. Jacarandá Mimoso: Jacaranda mimosaefolia

Um verdadeiro clássico. Árvore decídua, de floração exuberante. Ideal para arborização de ruas, praças e avenidas. Sua altura é de 8 a 15 metros. Suas raízes são profundas, não danificam calçadas e nem redes subterrâneas. Por atingir 15 metros, melhor ser plantada contra a rede elétrica.

03

04. Extremosa ou Resedá: Lagerstroemia indica

É uma linda arvoreta muito utilizada na arborização urbana. Tem florescimento esplendoroso, é decídua e tolerante a podas drásticas. Atinge até 8 metros de altura.

04
05. Manacá da Serra: Tibouchina mutabilis

O Manacá é uma belíssima árvore que nos proporciona admirar suas flores em três cores diferentes simultaneamente: brancas, rosas e roxas, de acordo com a idade da flor. Atinge até 6 metros de altura.

05

06. Alfeneiro: Ligustrum lucidum

Uma das espécies mais cultivadas na arborização urbana do sul do Brasil. Oferece boa sombra, mas a floração de muitos exemplares ao mesmo tempo pode intensificar os casos de alergia à pólen. Atinge aproximadamente 3 metros de altura.

06

07. Magnólia: Magnolia spp

A linda Magnólia, além de bela e perfumada faz lembrar os ipês rosas. Elas são muito interessantes para arborização urbana devido à seu porte pequeno. Decíduas e próprias para o clima subtropical e temperado. Alcançam de 5 a 10 metros de altura.

07

08. Pata-de-vaca: Bauhinia foficata

Árvore brasileira, nativa da Mata Atlântica, de porte médio com uma das mais belas flores e folhagens. Possuem raízes profundas que não estouram as calçadas. Uma ótima opção para ser usada como decoração e em regeneração de matas degradadas.

08

09. Quaresmeira: Tibouchina granulosa

É uma árvore de pequeno porte e raízes profundas. Elegante e bela, apresenta uma linda floração roxa que ocorre duas vezes por ano. Possui um fruto bem pequeno e é uma das principais árvores utilizadas na arborização urbana no Brasil.

09
10. Dama-da-noite: Murraya paniculata

Também conhecida como Murta-de-cheiro; Jasmim-laranja; Murta; Murta-da-Índia e Murta-dos-Jardins, a Dama-da-noite é um arbusto grande (ou arvoreta) que pode alcançar até 7 metros de altura. É muito utilizada para a formação de cercas-vivas. A Dama-da-noite apresenta ramagem lenhosa e bastante ramificada. Suas folhas são pinadas, com 3 a 7 folíolos pequenos, elípticos, glabros e perenes. Durante todo o ano produz inflorescências terminais, com flores de coloração branca.

10
11. Ipê-Mirim: Stenolobium stans

Conhecido popularmente como Ipê-de-jardim, é uma arvoreta muito ramificada. As folhas compostas são serreadas, as flores amarelas em forma de campânula e formam inflorescências vistosas. É muito usada em arborização urbana, podendo chegar a 7 metros de altura. Sua floração acontece entre os meses de janeiro e maio.

11
12. Candelabro: Erythrina speciosa

É uma das mais belas árvores brasileiras. Apresenta inflorescência em forma de candelabro, daí seu nome popular. É composta de flores de coloração vermelho-vivo, muito atrativa para os beija-flores. Tem excelente efeito paisagístico, pois além da beleza singular, produz boa sombra no verão e permite a passagem de luz no inverno. A altura varia de quatro a seis metros e sua floração acontece entre junho e setembro (final do inverno/começo da primavera).

12
13. Flamboyant-mirim: Caesalpinia pulcherrima

É uma árvore (alguns consideram arbusto lenhoso) de pequeno porte da família das leguminosas. De rápido crescimento, suas folhas são recompostas com folíolos pequenos e permanentes. Sua copa tem um formato arredondado e pode atingir de 3 a 4 metros de altura. Suas flores são vermelhas, alaranjadas, amarelas, rosas ou brancas dependendo do cultivar, dispostas em cachos paniculares. Sua época de floração é entre setembro e maio.

13

14. Cambuci: Campomanesia phaea

O Cambuci é uma árvore frutífera nativa da Mata Atlântica e recebeu esse nome devido à forma de seus frutos, parecidos com os potes de cerâmica indígenas que recebiam o mesmo nome. Sua altura varia entre três e cinco metros. A árvore possui flores grandes e brancas mas, sem dúvidas, seu principal destaque são os frutos, que costumam aparecer entre os meses de fevereiro e março.


15. Pitangueira: Eugenia uniflora

Nativa da Mata Atlântica, é uma árvore medianamente rústica, de porte pequeno a médio, com 2 a 4 metros de altura, mas alcançando, em ótimas condições de clima e solo, quando adulta, alturas acima de 6 metros. A copa globosa é dotada de folhagem perene. Seu fruto tem a forma de bolinhas globosas e carnosas, de cor vermelha (a mais comum), laranja, amarela ou preta. Na mesma árvore, o fruto poderá ter desde as cores verde, amarelo e alaranjado até a cor vermelho-intenso, de acordo com o grau de maturação.

15
16. Jabuticabeira: Eugenia cauliflora

Frutífera brasileira da família das mirtáceas, a Jabuticabeira exige sol de moderado a pleno. A árvore, atinge até 10 metros de altura e tem tronco claro, manchado, liso, com até quarenta centímetros de diâmetro. As folhas, simples, têm até sete centímetros de comprimento. Floresce na primavera e no verão, produzindo grande quantidade de frutos. As flores (e os frutos) crescem em aglomerados no tronco e ramos. Seus frutos pequenos, de casca negra e polpa branca aderida à única semente, são consumidos principalmente in natura, ou na forma de geleia, suco, licor, aguardente, vinho e vinagre.

16

17. Oiti: Licania tomentosa

É muito usada na arborização de várias cidades brasileiras, como Rio de Janeiro e Campo Grande. O seu fruto é uma drupa elipsoide ou fusiforme, de casca amarela mesclada de verde quando madura, com cerca de doze a dezesseis centímetros de comprimento e polpa pastosa, pegajosa, amarelada, de odor forte, com caroço volumoso e oblongo. Pode atingir entre 8 e 15 metros de altura.

17

18. Escova-de-garrafa: Callistemon ssp

As escovas-de-garrafa apresentam porte arbustivo ou de arvoreta, alcançando de 3 a 7 metros de altura. Suas folhas são em geral pequenas, lanceoladas a lineares, verdes, sésseis, perenes e aromáticas, que vão se tornando bronzeadas com o tempo. Mas é nas inflorescências que reside o encanto desta árvore. Elas tem um formato cilíndrico com numerosos estames, semelhantes às escovas utilizadas para lavar garrafas. São muito resistentes à seca.

18

19. Cinamomo: Melia azedarach

É uma árvore bastante utilizada na arborização urbana. Indicada para clima subtropical. De floração ornamental e frutos atrativos para avifauna, ela alcança até 20 metros de altura.

19
20. Amoreira-preta: Morus nigra

Morus nigra é uma das espécies de amoreira. Suas flores são dispostas em amentilhos densos. Seus frutos saborosos apresentam cor preta e são adstringentes. Muito atrativa para pássaros, atinge até 10 metros de altura.

20
21. Jasmim-manga: Plumeria rubra

A Jasmim-manga é uma árvore que pode atingir um porte entre quatro e oito metros. É muito usada como planta ornamental e seus caules são grossos e lisos, de cor cinzenta ou bronzeada, de forma escultural. Seus galhos têm um aspecto suculento e secretam um látex quando feridos. As folhas têm cerca de 30 cm, são verde-escuras e nascem nas extremidades dos ramos e no inverno e na primavera elas caem. Suas flores formam grandes inflorescências terminais e têm coloração rosas ou vermelhas, havendo variantes brancas e amareladas. Floresce durante o verão e o outono. Suas flores exalam um odor suave, semelhante ao das flores de jasmim, o que lhe atribui seu nome popular. Ideal para calçadas, praças e parques.

21

22. Cerejeira-do-japão: Prunus serrulata

É uma árvore decídua, de grande valor ornamental, devido seu florescimento espetacular. É própria para clima subtropical e temperado. Alcança até 6 metros de altura e deve ser cultivada sob sol pleno ou meia-sombra, em solo fértil, neutro, bem drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Necessita de estações bem marcadas para florescer de forma satisfatória. Por este motivo não é indicada para regiões equatoriais e tropicais, salvo em regiões de altitude elevada. Seu crescimento é moderado e a floração é precoce. Não tolera encharcamento e podas drásticas. Resiste ao frio, geadas e curtos períodos de estiagem. Multiplica-se por enxertia, estaquia e mais facilmente por sementes.

22

23. Aroeira: Schinus terebinthifolius
      
De porte pequeno a médio, é uma planta plantas dióica, de folhas compostas, aromáticas e atinge de 8 a 10 metros de altura. Suas flores são pequenas em panículas e seu fruto tipo drupa, vermelho-brilhante, aromático e adocicado. Reproduz-se por sementes ou estacas.

23
24. Pau-fava: Senna macranthera
 
Espécie muito usada no paisagismo urbano, é uma árvore de pequeno a médio porte o qual atinge entre 6 a 8 metros de altura. Suas folhas compostas de 4 folíolos possuem aproximadamente 20 cm. A floração é amarela e muito vistosa, em cachos. O fruto vagem é quase cilíndrica, de 30 cm e com muitas sementes duras de 0,5 cm. O fruto contém um líquido que tem um odor desagradável, de forma que na queda dos frutos fica um mau cheiro. A germinação é fácil e o desenvolvimento rápido. Floresce entre janeiro a maio e a coleta de sementes acontece em julho.

24

25. Cássia-do-nordeste: Senna spectabilis

É uma árvore da família das fabáceas, conhecida por diversos nomes populares como: Cássia; Cássia-do-nordeste; Cássia-macranta; Habú; Fedegoso do Rio e Macrantera. De crescimento rápido, atinge um porte de até 4 metros de altura, para 4 metros de diâmetro da copa arredondada. As folhas são pequenas e caducas. A floração decorre entre março a abril e origina flores de cor amarela. A frutificação é do tipo vagem e decorre de abril a maio. É uma planta com origem no Brasil.

25

E a lista não para por aí. Também pode ser usada uma grande variedade de coníferas, que apesar de seu formato geralmente cônico a colunar, desde à base, são escolhas muito interessantes para calçadas largas. As palmeiras, em sua maioria (com exceção das entouceiradas, espinhentas e as de porte gigante), são muito indicadas para ornamentar casas, ruas, avenidas e calçadas.

Gratidão!

Fonte: https://blog.plantei.com.br/
Fonte de material de apoio – Ubajara Notícias.

Imprimir ou Salvar em PDF

Print Friendly and PDF