background

12 de novembro de 2018

SABEDORIA DIVINA DA NATUREZA - EP 46 - ALCARÁVIA



EPISÓDIO 46

O episódio de hoje é sobre a Alcarávia, uma planta que tem sua utilização datada há 5 mil anos. Usada não apenas na cozinha, a erva é uma aliada à saúde do ser humano. Também chamada de Kummel, ela possui diversas propriedades medicinais nas folhas, frutas e raízes.

Pertencente à família das Apiaceae, é conhecida por outros nomes como: cuminho, cominho de montanha, cariz, alcarovea, cominho-armênio, alquirevia, cominho dos prados e cominho-romano. É nativa da Europa e oeste da Ásia.

A alcarávia é uma pequena planta, chegando à 60 cm de altura no máximo. As flores, que variam entre branco e violeta, se destacam entre as folhas verdes. Seu nome científico é Carum carvi e pode ser comprada em lojas de produtos naturais, feiras livres e em algumas farmácias de manipulação.



Além das propriedades medicinais, a erva também carrega consigo os princípios ativos que lhe conferem usos alternativos que vão além da infusão. Como exemplo, pode-se citar o caso do óleo essencial extraído dos frutos esmagados do cominho de montanha.

Comenta-se que durante as guerras romanas, quando faltavam alimentos, os soldados passavam a comer folhas frescas de alcaravia que vegetavam no campo. Júlio César atribuiu a esta planta muito de suas vitórias em batalhas, sendo esta especiaria muito disseminada na culinária dos países do norte da Europa. As folhas são parecidas com as folhas da cenoura, e as suas flores são brancas, dando frutos pequenos, parecidos com frutos da erva-doce.

Esta semente é utilizada como especiaria na culinária de todo o mundo. Com um formato alongado e de cor castanha, ela é utilizada para condimentar bolos, pães, queijos e picles. A semente de alcaravia é muito utilizada espalhada sobre legumes cozidos, especialmente raízes.


A alcaravia possui odor e sabor muito agradáveis e aromáticos. Segundo alguns autores, o sabor pode ser caracterizado como quente, um pouco amargo e picante, com um tom levemente gorduroso e agradável. As folhas frescas podem ser picadas e utilizadas em sopas e saladas, mas nem se compara com o sabor das sementes, muito mais acentuado. É muito empregada na culinária do norte da Europa, sendo provavelmente a Noruega o país que mais a emprega em sua culinária. É muito utilizada em pães, queijos, sopas, saladas, bolos, bolachas, licores, etc.



Fitoenergética

Atua principalmente no 4° Chacra e tem polaridade Yin. 


Favorece o zelo por princípios e valores, incentiva a pessoa a acreditar na justiça divina, planejar a vida com tranquilidade, ter coragem para agir, sentir segurança na vida que leva, não se subestimar, ter gratidão pela vida e prazer em viver, elimina apegos.


Formas de utilização desta erva


Alcarávia pode ser utilizada na produção de infusões, xaropes e óleo essencial. Além disso, é um ingrediente que pode servir para incrementar as receitas de bolos, pães e outros massas.

Como fazer o chá ?

1 colher (de chá) de folhas de alcarávia;
200ml de água.

Modo de preparo:


Enquanto a água estiver fervendo, esmague todas as folhas da planta. Após esmagá-las, coloque-as dentro da água em ebulição. Espere ferver. Depois de fervido, desligue o fogo e abafe a bebida por aproximadamente 15 minutos. Procure beber o chá 2 a 3 vezes ao dia.


Propriedades medicinais

- Antiflatulenta;
- Diurética;
- Aperiente;
- Antiácida;
- Estomáquica;
- Digestiva;
- Aromática;
- Anti-helmíntica;
- Emenagoga;
- Estimulante;
- Purgativa;
- Laxante;
- Galactagoga.

Através de todas estas propriedades é fácil dizer que a alcarávia é uma planta benéfica para o organismo humano, pois ela pode ser usada no tratamento de distúrbios no estômago e problemas respiratórios.

Utilizada com a finalidade de eliminar dores nos nervos, febres e vermes, a erva também pode servir para estimular o leite materno e equilibrara o processo híbrido do corpo.


Alívios de dispepsia, cólicas e de problemas intestinais podem ser alcançados com a ingestão de infusões feitas com os elementos desta planta. Isso porque ela consegue relaxar os músculos. Além disso, diminui enjoos, gases e é uma excelente saída para aliviar cólicas em crianças. Também pode ser usada como uma forma de controlar cãibras e crises alérgicas, bem como o surgimento de tosses.


Contraindicações

Evite a ingestão em excesso da bebida. Ela pode acabar se tornando algo tóxico para seu organismo. Grávidas e crianças também devem se abster do chá de alcarávia.



Fonte: GIMENES, Bruno J. Fitoenergética – A Energia das Plantas no Equilíbrio da Alma. 6ª ed. Nova Petrópolis: Luz da Serra Editora, 2012.

https://www.beneficiosdasplantas.com.br/alcaravia/

https://www.chabeneficios.com.br/propriedades-e-beneficios-do-cha-de-alcaravia/

http://flordacafrao.blogspot.com/2012/05/alcaravia-uma-semente-com-historia.html?m=1


Colaboração: Maria Isabel (Terapeuta Fitoenergética)  curaverde.fitoenergetica@gmail.com

DEMAIS EPISÓDIOS AQUI

8 de novembro de 2018

5 PLANTAS PARA LUGARES PEQUENOS



A paisagista Nô Figueiredo fala sobre 5 plantas fáceis de cultivar e que cabem em qualquer lugar!

São elas: Bambu da sorte (Dracaena sanderiana), Jibóia (Epipremnum pinnatum), Mini samambaia havaiana (Nephrolepis exaltata "Marisa"), Fitônia (Fitonia albivenis) e Peperômias.

Confira  abaixo o vídeo:




Youtube: Nô Figueiredo




3 de novembro de 2018

PALO SANTO



Você já ouviu falar em Palo Santo? Já usou? Conhece suas propriedades terapêuticas?

“Palo Santo” significa Madeira Sagrada. O Palo Santo é uma madeira aromática 100% natural que é muito utilizada em rituais ou ambientes para limpar energias negativas. É conhecido em algumas culturas, principalmente a indígena. Sempre foi usado em rituais xamãs pelas culturas pré-hispânicas. Seu nome científico é Bursela Graveolens, uma árvore nativa do México e da Península de Yucatán, no Peru e na Venezuela, que habita a região sul-americana do Gran Chaco. Também é encontrado na Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Colômbia, Equador, Bolívia, Peru, Brasil, e nas Ilhas Galápagos.

O Palo Santo tem três componentes principais:

– Limoneno (reduz a ansiedade e estimula o bem-estar);
– Terpineol (aumenta a imunidade e transmite equilíbrio);
– Menthofuran (anticongestionante e antiviral).

Benefícios do Palo Santo

O Palo Santo limpa objetos, cristais, animais, e também o nosso campo energético. Por isso, ele é muito indicado contra o estresse e contra conflitos familiares. Também serve como repelente natural contra insetos.

Ideal para aqueles dias em que você está se sentindo mais denso, pesado, triste, sem motivação, sem ânimo, precisando revigorar o corpo e a alma!

Para usufruir dos benefícios, você pode utilizá-lo em madeira ou como óleo essencial. A forma mais comum é em madeira.



Essa madeira aromática é muito utilizada para limpar e preparar ambientes e relaxar as pessoas antes da realização de alguma prática espiritual. O Palo Santo, devido à todas as propriedades e qualidades, pode ser utilizado, em nosso dia a dia, para nossa harmonização e purificação, e também do ambiente no qual vivemos.

A árvore do Palo Santo atinge um tamanho de 4 a 10 m. de altura. Ela possui a casca lisa, cinza e não esfoliante.

O incenso do Palo Santo, olhando a grosso modo, parece um pedaço de madeira aromática, porém, é muito mais que isso. Feito de forma 100% natural, para sua produção, não ocorre agressão e desequilíbrio da natureza. Da sua morte natural, nascem o óleo essencial e a madeira para incenso.

Para saber se a madeira do Palo Santo foi produzida de forma natural, e se é de boa qualidade, é necessário que ela tenha perfume, mesmo antes de ser queimada. Se a madeira não tiver perfume, não terá propriedades terapêuticas. 




A inalação de sua fumaça é bem tolerada, só devendo ser interrompida, em caso de reações respiratórias e/ou alérgicas.


COMO USAR O PALO SANTO?


A capacidade de transformação do Palo Santo
A árvore do Palo Santo possui vida média de 50 a 100 anos.

Para conseguir o incenso e o óleo essencial, de boa qualidade aromática, este deve ser extraído do tronco da árvore do Palo Santo, que morreu, de forma natural. 

Após sua morte, sua madeira, ao ficar muitos anos em contato com a natureza, passa por um processo de transformação química natural, originando as substâncias que conferem as suas propriedades curativas e terapêuticas.

Através desse processo 100% natural e autossustentável, se originam o perfume da madeira do Palo Santo e seu poder benéfico.

A árvore do Palo Santo renasce e se transforma, pois, após sua morte, todas as suas partes se convertem em elementos que possuem potenciais de cura. O Palo Santo nos mostra que, mesmo morrendo, sua matéria e energia permanece ativa, através da sua transformação!


A madeira resinosa do Palo Santo, desde remotos tempos, é utilizada pelos xamãs, de várias tribos sul-americanas, como as Aymara, Quechua, Jíbaros, entre outras. As antigas culturas indígenas Manana, Machalilla, Valdivia e Inca usavam o incenso e o óleo do Palo Santo, para fins curativos e terapêuticos.

Onde comprar Palo Santo


O Palo Santo não é tão difícil de ser encontrado. Você pode encontrá-lo em lojas esotéricas ou comprá-lo em quantidade em lojas esotéricas online. 


Fonte: https://www.astrocentro.com.br/blog/simpatias/tudo-sobre-o-palo-santo/

https://www.greenme.com.br/usos-beneficios/6211-palo-santo-propriedades-usos



30 de outubro de 2018

CALENDÁRIO PARA SEMEAR OU PLANTAR DETERMINADAS FLORES



Saiba qual o mês mais propício para semear ou plantar determinadas flores no seu jardim/quintal.

Abaixo uma simples compilação pra você escolher qual te agrada mais. Integrando-se a Natureza, a essa energia maravilhosa das flores.

Não se esqueça que deve ter sempre em consideração a época de germinação das sementes, em específico, que comprar. E também considerar a FASE DA LUA mais ideal para semear ou plantar, garantindo assim uma interação harmoniosa com as forças da Natureza, sabemos que a irradiação lunar não só exerce influência nos mares/nas águas, mas também nas plantas.

Melhor fase da lua para semear e plantar: LUA CRESCENTE. Essa fase é ótima para preparar a terra; semear; plantar flores e folhagens em vasos; fazer enxertos; e colher folhas e frutos. Justamente porque nessa fase há uma corrente prânica nas folhas, após o quarto dia a corrente de energia se desloca para os galhos menores, e até o sétimo dia passa para os galhos maiores. Em harmonia com essa força lunar as sementes ganham mais energia e despertam em meados da Lua nova ou antes, a Natureza tem seu próprio ritmo e sincronia.

Comece já a semear/plantar! Expanda o Amor! Expanda a Vida!


Calendário de flores (hemisfério sul)

Janeiro

- Calêndula
- Cosmos
- Vinca
- Petúnia
- Verbena
- Portulaca (Onze-horas)

Fevereiro

- Cosmos
(com regas frequentes e abundantes devido às altas temperaturas)

Março

- Jacinto
- Amor-perfeito
- Narcisos
- Tulipas
- Maravilhas
- Miosótis

Abril

- Amor-perfeito
- Anêmonas
- Cíclames
- Crisântemo
- Narcisos
- Lírios
- Açucena
- Jacinto
- Tulipa
- Fresias
- Miosótis
- Roseiras
- Maravilhas

Maio

- Amor-perfeito
- Roseiras

Junho

- Lírios
- Roseiras
- Malvarisco
- Cíclames
- Gladíolos
- Ervilhas-de-cheiro

Julho

- Lírios
- Amarílis
- Begônia
- Jacinto
- Gipsófilas
- Ervilhas-de-cheiro

Agosto

- Manjerico
- Amor-perfeito
- Cravo
- Cóleos
- Crisântemo
- Paciências
- Goivos
- Flor de papel (Helichrysum bracteatum)
- Cosmos
- Girassol
- Miosótis
- Malvarisco
- Verbena
- Gipsófilas
- Zínia
- Sécia
- Ervilhas-de-cheiro

Setembro

- Amor-perfeito
- Anêmona
- Capuchinha
- Crisântemo
- Boa-noite
- Goivos
- Girassol
- Flor de papel (Helichrysum bracteatum)
- Cosmos
- Perpétua
- Begônia
- Amarílis
- Agerato
- Dália
- Cravo
- Cóleos
- Miosótis
- Malvarisco
- Maravilhas
- Manjerico
- Ranúnculo
- Papoula
- Verbena
- Gipsófilas
- Áster
- Zínia
- Sécia
- Açafate-de-ouro
- Boca-de-lobo ou boca-de-leão
- Ervilhas-de-cheiro
- Trevos de quatro folhas

Outubro

- Amor-perfeito
- Goivos
- Girassol
- Flor de papel (Helichrysum bracteatum)
- Cosmos
- Begônia
- Cravo
- Cóleos
- Miosótis
- Malvarisco
- Maravilhas
- Manjerico
- Malmequer
- Verbena
- Gladíolos
- Gipsófilas
- Áster
- Zínia
- Sécia
- Saudades
- Estrela-de-Egito
- Ervilhas-de-cheiro

Novembro

- Amor-perfeito
- Goivos
- Girassol
- Cosmos
- Dália
- Linho
- Cravo
- Miosótis
- Maravilhas
- Manjerico
- Verbena
- Trepadeiras
- Melindres
- Gipsófilas
- Zínia
- Sécia
- Ervilhas-de-cheiro
- Flor de papel (Helichrysum bracteatum)

Dezembro

- Amor-perfeito
- Goivos
- Girassol
- Cosmos
- Cravo
- Miosótis
- Maravilhas
- Manjerico
- Verbena
- Trepadeiras
- Gipsófilas
- Sécia
- Flor de papel (Helichrysum bracteatum)

(No hemisfério norte as flores descritas no mês de janeiro referem-se ao mês de julho, fevereiro refere-se a agosto, e assim por diante).

Bom plantio a todos!

🌻





26 de outubro de 2018

UMBANDA



Essa aba específica é dedicada a Umbanda, uma religião que tenho profundo amor e carinho. Nada melhor pra explicar de maneira geral o que é essa religião do que o próprio Hino da Umbanda.





Refletiu a Luz Divina
Em todo seu Esplendor,
Vem do Reino de Oxalá
Onde há Paz e Amor,

Luz que refletiu na Terra,
Luz que refletiu no Mar,
Luz que veio de aruanda para tudo Iluminar,

Umbanda é Paz e Amor,
O Mundo cheio de Luz,
É a força que nos da vida,
E a grandeza dos pontos,
Avante Filhos de Fé,
Como a nossa lei não há,

Levando ao mundo inteiro a bandeira de Oxalá.

Letra: José Manuel Alves

José Manuel Alves ficou apaixonado pela religião e, ainda em 1960, fez o Hino da Umbanda para mostrar que esta Luz Divina, que vem do Reino de Oxalá, não é para ser vista com os olhos físicos, que voltarão ao pó, mas sim com olhos do espírito, no encontro da mente com o coração …
O Hino foi apresentado ao Caboclo das Sete Encruzilhadas que gostou tanto do mesmo que resolveu apresentá-lo como Hino da Umbanda no 2º Congresso de Umbanda em 1961, sendo oficializado na 1ª Convenção do CONDU-Conselho Nacional Deliberativo de Umbanda em março de 1976.

Podemos nesta pequena história ver que este hino é fruto de um Amor muito grande pela Umbanda, Amor este oriundo de uma Fé profunda, daquelas obtidas com a Humildade e a Resignação ante ao Conjunto de Leis do Pai Maior.

---------------------

Abaixo uma série de vídeos do canal Pozati Filmes sobre a Umbanda.










---------------------

No vídeo abaixo, a Carol, do canal no Youtube Carol Filha de Oyá, fala um pouco sobre as vertentes da Umbanda.


*******

Indicação de livro: Umbanda pé no chão - Ramatis. Através de Norberto Peixoto.

*******



Vivenciar a Umbanda é fundamental para conhecer e sentir se há uma afinidade sua com essa religião que tem Deus sempre em primeiro e cultua a Natureza, sempre a serviço do Amor, na caridade, na humildade, e na fraternidade.

Bênçãos! 

Saravá Umbanda!

Leony Nogueira



22 de outubro de 2018

SABEDORIA DIVINA DA NATUREZA - EP 45 - MALVA



EPISÓDIO 45

O episódio de hoje é sobre a Malva, é uma planta medicinal, também conhecida como Malva-cheirosa, Malva-das-boticas, Malva-silvestre, Malva-de-casa, muito utilizada no tratamento de infecções. Seu nome científico é Malva sylvestris e pode ser comprada em lojas de produtos naturais, farmácias de manipulação e em algumas feiras livres e mercados.

A malva é um nome vulgar de diversas espécies de plantas herbáceas da família Malvaceae.

Este nome provém da palavra grega "malake" que significa "suave", uma vez que a planta cura e acalma.

Nativa da Europa e Ásia ocidental. Desde o século VIII a.C. que as malvas eram conhecidas e utilizadas tanto na culinária como para fins terapêuticos.

Era já conhecida dos gregos e romanos que muito a apreciavam. Alguns médicos gregos recomendavam-na para aliviar e curar picadas de insetos. Distribui-se geograficamente pelas regiões tropicais, subtropicais e temperadas da África, Ásia, Europa, Brasil, e também em Portugal. 


Carlos Magno utilizava-a como planta ornamental dos jardins imperiais. Para os pitagóricos era considerada planta sagrada, pois libertava o espírito da escravatura das paixões. Plínio, grande historiador e investigador romano que morreu queimado na explosão do Vesúvio, recomendava uma poção à base de suco de malva o que evitaria indisposições durante todo o dia. Na Idade Média, a alteia e a malva eram plantadas nos jardins dos mosteiros e utilizadas pelos monges para fins terapêuticos. Na medicina tradicional chinesa usam-se as sementes de malvas.

As partes da malva usadas para fins medicinais são suas folhas e flores para chás ou infusões.


Fitoenergética

Atua em todos os Chacras e tem polaridade Yang. 

Cria conexão com energias de esferas espirituais. Ajuda a tomar decisões, respeitar hierarquias, eliminar medos, criar sentimento de justiça, aceitar as dificuldades da vida e mudar de atitude. Limpa os miasmas que causam dor e desconforto físico.

Essa planta personifica a esperança infinita e a capacidade de resistir a tristezas e dificuldades.



Para o chá: Colocar 2 colheres (de sopa) de folhas secas de malva em uma xícara de água fervente. Deixar repousar por 10 minutos. Coar e beber 3 vezes ao dia.


Propriedades medicinais

O chá de malva pode ser tomado e é excelente para combater a prisão de ventre, soltar o catarro, combater a dor de garganta. Outra forma de aproveitar as propriedades das flores de malva é fazendo um cataplasma com as folhas e flores amassadas, que podem ser aplicadas nas picadas de inseto e feridas porque tem ação cicatrizante.

As malvas são extremamente ricas em mucilagem especialmente na raiz, o que lhe confere grande parte dos seus méritos terapêuticos.

Em cataplasmas pode utilizar-se para extrair furúnculos, abcessos, estilhaços ou outras impurezas e inflamações da pele. Em clisteres, para limpeza dos intestinos, revestindo-os ao mesmo tempo de uma camada de mucilagem.

As propriedades da malva incluem sua ação adstringente, diurética, emoliente, expectorante e levemente laxante.


Contraindicações

O principal efeito colateral da malva é a intoxicação, quando utilizada em grandes doses. Além disso, o chá de malva está contraindicado durante a gravidez e a amamentação.

Diabéticos também não podem fazer uso devido ao fato dessa planta se desdobrar quimicamente em glicose.

Restrições quanto à Fitoterapia: no uso interno, pode causar desconforto abdominal e diarreia quando em doses altas. Contraindicada para pessoas com diarreia crônica.

Busque sempre o auxílio de um especialista antes, durante e depois de qualquer tratamento. Em caso de reações indesejadas, suspenda o uso e relate o ocorrido imediatamente a um profissional.



Fonte: GIMENES, Bruno J. Fitoenergética – A Energia das Plantas no Equilíbrio da Alma. 6ª ed. Nova Petrópolis: Luz da Serra Editora, 2012.

https://www.tuasaude.com/malva/

https://lifestyle.sapo.pt/saude/saude-e-medicina/artigos/malva

https://asenhoradomonte.com/2012/11/03/propriedades-e-indicacoes-terapeuticas-malva/


Colaboração: Maria Isabel (Terapeuta Fitoenergética)  curaverde.fitoenergetica@gmail.com


DEMAIS EPISÓDIOS AQUI

Imprimir ou Salvar em PDF

Print Friendly and PDF