background

2 de julho de 2018

SABEDORIA DIVINA DA NATUREZA - EP 37 - MELISSA



EPISÓDIO 37

O episódio de hoje é sobre a Melissa, seu nome científico é Melissa officinalis, também conhecida como Erva cidreirapossui um aroma cítrico muito parecido com o de limão e é muito utilizada não só na fitoterapia e na aromaterapia, como também na produção de cosméticos e na culinária.

Desde o século X, a erva-cidreira faz sucesso pelo mundo inteiro, pois já era utilizada como calmante pelos árabes, para aliviar a depressão e reduzir a ansiedade.

A história mostra que a erva cidreira já é usada há mais de dois mil anos e que seu chá é um dos mais apreciados no mundo inteiro. Os gregos a denominaram como “erva do mel de abelha”, pois segundo a lenda, o nome “Melissa” é em homenagem à Melona, a ninfa grega protetora das abelhas. E a relação da planta com as abelhas é realmente muito interessante: na primavera, quando nascem várias rainhas numa mesma colméia, o enxame se divide em vários menores e cada um sai em busca de uma nova colméia. Como a melissa tem o poder de atrair as abelhas, povos antigos colocavam suas folhas frescas trituradas em colméias vazias para atrair os enxames que estavam migrando.


Outras lendas atribuem à erva cidreira a atração e/ou fortalecimento do amor, quando seus ramos são colocados no vinho e servido à pessoa amada. Além disso, também a atribuem à atuação positiva sobre a longevidade e dizem que seu incenso traz felicidade e sucesso, ajuda a encontrar o amor verdadeiro e auxilia no combate à timidez e a falta de autoconfiança.


É nativa da Europa Meridional, Ásia e norte da África, mas é de fácil plantio em diversos lugares do mundo. Sua principal característica é o sabor e o aroma cítrico derivado do seu óleo essencial, que pertence ao grupo dos terpenos, semelhante ao de limão. 


É uma planta perene herbácea, ou seja, possui um ciclo de vida longo, podendo viver mais de dois anos e em nenhum momento suas folhas caem.

Além de seu nome original, a erva-cidreira possui outros nomes populares: chá de tabuleiro, falsa melissa, erva cidreira brava, erva cidreira do campo, salva do Brasil, salva limão, alecrim do campo, salva brava, cidrila, orégano e salvia (em países Latino-Americanos).


Modo de preparo do chá de melissa

Leve ao fogo uma chaleira com 200 ml de água e deixe ferver. Acrescente em torno de 10 folhas secas ou frescas de melissa, tampe, e deixe agir por 10 ou 15 minutos. Quando estiver em temperatura ideal para ser consumido, coe, acrescente mel se quiser e, caso deseje, pode pingar no chá de melissa ainda quente algumas gotas de limão. Caso queira fazer a quantia para mais pessoas, acrescente mais 200 ml e 5 folhas de melissa.


Consuma-o, preferencialmente, antes de dormir. Não é recomendado ingeri-lo muitas vezes por dia, já que ele promove o relaxamento e você talvez perca parte da energia que precisa para efetuar suas atividades. Se quiser beber o chá de melissa mais de uma vez, não há contraindicações, mas opte por fazer a partir de umas 4 horas antes de seu horário de dormir, para ter uma noite tranquila e acordar devidamente revigorado.


Fitoenergética

Atua principalmente no 4º chakra e tem polaridade Yang.

Ajuda a superar divórcios complicados; ser doce, saber viver e amar; cria conduta de honestidade; elimina traumas de maus tratos na infância, discórdia, medo de aranhas e bichos peçonhentos. Traz consciência da infância para melhor entender o presente. 



Propriedades medicinais

A melissa é um hipotenso moderado que pode reduzir palpitações do coração provocadas pela tensão. O óleo essencial age na parte do cérebro que controla o sistema nervoso autônomo e protege o cérebro de receber estímulos externos exagerados. O chá de melissa, além de acalmar e induzir a pessoa ao sono, é recomendado para o tratamento da ansiedade, depressão, epilepsia, perturbações nervosas, insônia, histeria, enxaqueca, hipocondria, vertigem e outros distúrbios. A melissa contém um efeito tônico sobre o coração e o sistema circulatório, provocando uma leve vasodilatação dos vasos periféricos, ajudando a amenizar a pressão sanguínea. O óleo essencial e o chá da melissa podem beneficiar pacientes com ansiedade e depressão, vez que os óleos voláteis na erva (particularmente o citronelal) têm efeito sedativo, mesmo em concentrações mínimas.

Veja suas principais propriedades:

Adstringente: útil para diminuir a secreção de mucosas, recobrir tecidos orgânicos, contrair os tecidos e vasos, combater diversos tipos de problemas inflamatórios da boca, órgãos genitais etc.

Analgésica: usada para aliviar a dor sem eliminar outras propriedades sensitivas.

Antialérgica: usada para combater diversos tipos de alergia.

Antiespasmódica: impede a contração do tecido muscular liso, prevenindo o surgimento de espasmos no estômago, intestino e/ou bexiga.

Anti-inflamatória: possui o papel de inibir a ação dos glóbulos brancos, que são os responsáveis pela resposta inflamatória, diminuindo as dores, inchaços e vermelhidões no local machucado.

Antimicrobiana: ajuda a inibir o crescimento de microrganismos dentro do corpo (vírus, bactérias, fungos, parasitas), evitando maiores problemas.

Antisséptica: possui ação parecida com a antimicrobiana, porém inibe a proliferação de microrganismos que estão presentes somente na superfície da pele e mucosas.

Cicatrizante: faz com que determinados cortes ou machucados cicatrizem mais rápido, acelerando o aumento das multiplicações celulares, que possibilitam o preenchimento da zona afetada com as células epiteliais.


Diante de todas essas propriedades, a erva-cidreira age, principalmente, contra:

Dor de Cabeça;
Enxaqueca;
Gases;
Constipações;
Tosse;
Enjoo;
Fadiga;
Feridas;
Fígado;
Problemas Digestivos;
Arroto;
Alergias;
Gripe;                  
Palpitações Cardíacas.


A erva-cidreira também é um grande auxílio ao organismo feminino, pois além de regular as menstruações, alivia as cólicas e tem um efeito tônico no útero. Além disso, é uma planta que possui propriedades calmantes e sedativas, portanto é muito indicada como calmante, para combater ao nervosismo, estresse e também para a insônia.


Contraindicações

O chá de melissa não é recomendado para grávidas, lactantes e crianças com menos de 12 anos. Pessoas com hipotensão e hipotireoidismo também devem evitar o consumo desta planta. Quem usada medicamentos sedativos, como os calmantes, também deve evitar a erva cidreira. Altas quantidades de erva cidreira podem levar a uma frequência cardíaca mais lenta e a hipotensão, pressão arterial baixa.


Fonte: GIMENES, Bruno J. Fitoenergética – A Energia das Plantas no Equilíbrio da Alma. 6ª ed. Nova Petrópolis: Luz da Serra Editora, 2012.

http://www.kerdna.com.br/alimentacao/erva-cidreira/769-erva-cidreira.html

https://www.chabeneficios.com.br/cha-de-melissa-beneficios-e-propriedades/

https://remediodaterra.com/beneficios-do-cha-de-melissa/


Colaboração: Maria Isabel (Terapeuta Fitoenergética)  curaverde.fitoenergetica@gmail.com

DEMAIS EPISÓDIOS AQUI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Imprimir ou Salvar em PDF

Print Friendly and PDF