background

4 de agosto de 2017

ELFOS DA FLORESTA E ELFOS À BEIRA-MAR – PEQUENO RELATO



Dois delgados espíritos da floresta vieram correndo pelo terreno atrás de nós, quando estávamos sentados em um tronco de árvore caído. Vendo-nos, pularam cerca de cinco pés para trás e estacaram olhando-nos com grande interesse e sem temor algum. Pareciam como que inteiramente cobertos por uma coleante pele inteiriça, como que brilhando de umidade, e com um colorido semelhante ao da casca de uma faia. Havia grande quantidade destas figuras correndo pelo terreno. Suas mãos e pés eram grandes, bem desproporcionados em relação ao resto do corpo. Suas pernas eram finas, suas orelhas levantadas e embicadas, quase em forma de pêra. O nariz era embicado, também, e a boca larga.

Não tinham dentes nem as estruturas internas da boca — inclusive língua, pelo que pude ver — exatamente como se o conjunto fosse constituído de uma peça de geléia etérica. 

Uma pequena aura verde os rodeava. Os dois por mim observados especialmente, vivem nas raízes de uma enorme faia. Desapareceram, por fim, através de uma fenda na qual penetraram tal qual a gente entraria em uma caverna, e mergulharam no subsolo, para emergir no duplo etérico da árvore.

----------------------------

Brincando na costa, entre as algas e as pedras, existem pequenas e esdrúxulas formas parecidas com a do elfo. Têm cabeças desproporcionais, faces de elfos, orelhas grandes, corpos redondos e curtos, pernas finas terminando em pés que quase parecem palmados. São de três a seis polegadas de altura (7 a 15cm), estão familiarizados com os seres humanos, e de maneira alguma se perturbam com a presença destes. Aparentemente estão relacionados com a vida e os processos celulares das algas.


Fonte: Livro O Reino dos Deuses – Geoffrey Hodson. Editora PENSAMENTO - São Paulo.
Título do original em inglês: The Kingdom of the Gods - Theosophical Publishing House, Adyar, Madras 6000 20, Índia.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Imprimir ou Salvar em PDF