background

12 de maio de 2017

ELEMENTAIS DO FOGO - SALAMANDRAS, OS FUTUROS SENHORES DO FOGO



A descrição dos espíritos naturais do fogo é algo difícil de se obter e anotar, por não possuírem forma definida e ser o seu elemento relativamente sem forma. Tem-se a impressão de uma forma fundamentalmente humana, membros e "cabelos" construídos de fluentes correntes de energia ígnea, que se precipitam, e apenas raramente se amoldando à configuração e posição da estrutura humana.

O rosto, entretanto, quando não velado pelas chamas áuricas, é de aparência bem humana. A sua expressão, entretanto, é completamente inumana, enquanto que seus olhos oblíquos para cima parecem brilhar com uma espécie de desalmado prazer na “destrutiva” força de seus elementos. O rosto é triangular, o queixo e orelhas pontudos, a cabeça envolta e delineada por chamazinhas tremulantes de cor vermelha alaranjada, por entre as quais atirava línguas de fogo.

O tamanho das salamandras varia desde uns 70 a 90 centímetros de altura até os grandes colossos de ígneo poder, que são os Senhores do Fogo, associados ao sol.

A descrição seguinte, sendo dos Deuses maiores e não dos Deuses menores, e aqui incluída em benefício da continuidade do estudo dos quatro elementos e de seus habitantes, foi tirada da Introdução e do Cap. IV do meu livro The Angelic Hosts

Parecia-me estar com ele (o anjo instrutor referido na introdução do presente livro) submerso em um mar de fogo, que era homogêneo e onipenetrante, além de translúcido e transparente. Pareceu-me também ver a formação floriforme do aspecto do Logos Solar e de Seu Sistema, como se estivéssemos o anjo e eu em uma de suas pétalas. Ainda que a distância e as dimensões deste mundo ígneo fossem tão colossais que se tornam fisicamente incompreensíveis e além de toda medida, contudo, deste nível elas estavam dentro do meu alcance, e o fato de eu estar completamente submerso em uma catarata de chamas que passavam e redemoinhavam sobre mim, não me impedia de ver o seu conjunto e a sua forma, como se eu o estivesse também observando das alturas. Pude descobrir a sua origem no sol e ver seus limites onde a ponta de uma pétala atinge o "Anel Intransponível" ou órbita do Sistema. Não pude descobrir a relação do sol físico com o sol ígneo, mas o tamanho e luminosidade relativos eram tais que o sol físico estaria quase perdido em sua contraparte ígnea.

Sob guia do anjo, movia-me dentro deste mar de fogo, mas, apesar da grande distância percorrida, sempre se apresentavam os mesmos aspectos. Se nos alçávamos ou afundávamos nesse mar de fogo, ou atravessávamos uma grande área de chamas, o Sistema continuava a parecer um girassol, apresentando toda a sua corola para nós. Por contraditório que isto pareça, será inteligível aos familiarizados com a ideia da quarta dimensão. No nível do fogo, entretanto, as aparentes direções do espaço e as características reveladas pelo conhecimento super físico são superiores a quatro.

A aparência dos Ígneos Senhores Solares era sublime e inspirava profunda reverência. Sua estatura deve ser gigantesca. Ainda que não atinja o tamanho das pétalas principais, como eles permanecem como uma corola interna em volta do ígneo coração central da flor, eram suficientemente grandes para ser notados de pontos próximos à orla externa do Sistema.



Quando nos aproximamos do centro, pareceram ser colossos solares, e em um dos nossos pontos de descanso, um simples ígneo Senhor encobria completamente o campo de visão.

Suas formas eram definidamente humanas, embora cada célula de seus corpos se assemelhasse a uma caldeira barulhenta, enquanto que chamas saltavam e ondulavam continuamente em volta delas. Não lhes pude ver o rosto distintamente e seus olhos se esquivavam de minha vista — talvez por uma providência misericordiosa — mas fiquei profundamente impressionado tanto pela expressão de beleza como de poder. Sua beleza não estava tanto no contorno e na forma, embora seus corpos fossem inexprimivelmente belos. Pertencem mais ao ideal abstrato da beleza que corporificam. No mundo do fogo percebi que, como há um aspecto ígneo de Deus, também há um aspecto de beleza, igual ao do fogo em seus efeitos regeneradores, transformadores e “destruidores”, igualmente glorioso, igualmente perigoso para aquele que contemple seu poder a descoberto.

Comecei a avaliar a verdade do dito de que ninguém pode ver a Deus e viver. O homem pode alçar-se às alturas da montanha espiritual e a beleza de Deus pode transfigurá-lo, mas a não ser que esteja preparado para o seu irresistível poder, pode ser completamente destruído. No mundo do fogo, parece existir um sistema perfeitamente organizado por meio do qual tais perigos são afastados o mais possível. O ilimitável poder, glória e beleza do Logos atravessam a Hierarquia Angélica, que atua como um transformador para os reduzir e moderar, e assim as formas são construídas em vez de destruídas e os habitantes dos níveis inferiores não são ofuscados pelo seu tremendo poder. Os Arcanjos do Fogo vivem entre estas forças e dirigem a ação das ígneas energias solares, de acordo com a vontade daquele supremo Senhor do Fogo que é a Fonte de sua existência. São os Deuses do Fogo e os Arcanjos da Chama, os regeneradores espirituais do Sistema.

Corporificações viventes do poder ígneo são os Vice Regentes do Supremo Governador, de quem o Sistema Solar e os Senhores do Fogo são expressões.

Totalmente dourados e semelhantes a chamas, parecem gigantescos homens construídos de chamas, tendo cada um em sua mão uma lança e na cabeça uma coroa dourada de fogo vivo. Chamas brotam deles de todos os lados. O poder passa através deles, transformado, senão sua força pura destruiria o próprio Sistema Solar, que por mediação deles ele recria, regenera e transforma. Eles servem de escudo do Sistema Solar, senão a ígnea energia poderia cegar os olhos daqueles para quem é uma fonte de luz, queimar aqueles para quem é uma fonte de calor, e destruir aqueles para quem é uma fonte de poder. Tais são, em pequena parte, os Poderosos Seres que permanecem ante o ígneo trono do Pai dos Anjos e dos Homens. Abaixo deles, escalonados, estão enfileirados os Deuses do Fogo. Os mais jovens entre eles, os espíritos da natureza de seu elemento, são as salamandras, os futuros Senhores do Fogo.


Fonte: Livro O Reino dos Deuses – Geoffrey Hodson. EDITORA PENSAMENTO - São Paulo.

Título do original inglês: The Kingdom of the Gods - Theosophical Publishing House, Adyar, Madras 6000 20, Índia.


Bênçãos!
Namastê!


Nenhum comentário:

Postar um comentário