background

9 de abril de 2017

DEVAS DE MEDITAÇÃO, RELIGIÃO, CERIMÔNIA E RITUAL



A estória de certos devas leva-os a um tipo especial de relacionamento com a vida humana. Pode começar quando um duende encontra-se cuidado de um jardim perto do lugar onde um ser humano muitas vezes ora ou medita.

A pessoa que ora ou medita tem uma atitude que está sintonizada com seus propósitos mais profundos e essenciais. Sua atitude é desligada dos envolvimentos rotineiros da vida e está sintonizada com a finalidade última e perfeita do processo humano – um indivíduo que é amor total. Na prece e meditação, o indivíduo se separa das ilusões da vida temporária e tenta unir-se ao futuro estado de perfeição. Esta ação e intenção está em ressonância similar ao broto rompendo a semente.

Esta atitude mantém a pureza do propósito que está em completa harmonia com a perfeição cósmica. O indivíduo que ora ou medita, irradia uma nota multidimensional específica, que um deva pode compreensivamente reconhecer. Devido à consciência expandida dos devas, ele pode ter a percepção do estado e da atmosfera energética em que o ser humano deseja penetrar, e ciente da matriz da perfeição, o deva pode ajudar a união do ser humano à essa nova ressonância.

Um duende, que dispendeu muito tempo nas vizinhanças de um ser humano orando ou meditando pode ser levado no futuro a associar-se com pessoas e não com plantas. Da mesma forma os devas das plantas e paisagens perto dos mosteiros, igrejas, templos, mesquitas, conventos, santuários ou áreas de meditação poderão ser atraídos pela corrente de devoção e aspiração multidimensional, e serem também levados a essa linha de evolução que é essencialmente associada a seres humanos. Eles juntam-se então a uma enorme escola de anjos que cooperam especificamente com o serviço e aspiração espiritual do homem.



Essa escola de anjos tem principalmente duas esferas de interesse: A primeira, ajudar os indivíduos em seu crescimento espiritual particular e a segunda ajuda-los na construção e no fluir das energias auxiliares que estão associadas à meditação, prece e ritual, como formas de serviço. Esses devas que ajudam o desenvolvimento espiritual são algumas vezes conhecidos como ‘anjos da guarda’ e os devas que trabalham com as correntes de energia são os serafins, querubins, etc, como são invocados na Eucaristia Cristã.

Anjos da Guarda


Quando o desenvolvimento espiritual e o serviço se tornam o tema predominante na vida do indivíduo e já estão ancorados no ritmo diário da pessoa, então os devas do desenvolvimento espiritual começam a ser atraídos para esse indivíduo. Eles trabalham na atmosfera em torno do indivíduo ajudando-a a conservar-se limpa e magneticamente pura; são semelhantes às salamandras do fogo ou às sílfides do ar. Bloqueiam a entrada de vibrações indesejadas e conservam a atmosfera de uma ajuda amorosa e espiritualmente alegre para o indivíduo.

Enquanto estão a serviço do aspirante, eles também estão aprendendo com a experiência. Aprendem principalmente, a apreciar e harmonizar-se com as excentricidades humanas, em especial com a habilidade humana de oscilar entre uma atitude genuinamente espiritual e uma de um egoísmo indisciplinado e sem propósito.

Quando o foco principal da vida do indivíduo se torna a transformação pessoal e o desenvolvimento no caminho do amor incondicional, então um deva com uma experiência específica no desenvolvimento espiritual humano, pode ser designado para esse indivíduo. Esse anjo da guarda, mantém uma percepção multidimensional clara de como esse ser humano pode evoluir melhor. Mantém uma visão interna do próximo passo espiritual do indivíduo. Essa percepção não é somente interessada na ação ou atitude aparente mas, nas sutilezas da construção da ‘ponte de arco-íris’ interna ou caminho para supra consciência; está também interessado nas sutilezas dos relacionamentos e ressonância entre os vários chakras e centros de energia do corpo humano.

A um anjo da guarda é possível guardar várias pessoas simultaneamente ou mesmo todo um grupo. O contrário, também é possível: há casos em que um indivíduo pode ser ajudado por vários anjos da guarda que estão todos ganhando úteis experiências com a idiossincrasia do ritmo específico do crescimento dessa pessoa. Nas tradições de mistérios do ocidente existem rituais nos quais o propósito específico é conseguir contato com o seu anjo da guarda.



Esses rituais não são guiados para uma apreensão e percepção diretas do anjo, mas são de fato orientados para trazer o indivíduo a uma maior e mais pura ressonância com a percepção mantida pelo anjo. Em um sentido mais verdadeiro, nossa própria alma, ou eu interior silencioso, também mantém essa visão e em alguma linguagem simbólica, ‘Anjo da Guarda’ é realmente uma referência à alma humana.

A qualidade da consciência necessária para a total comunhão com seu anjo da guarda é aquela que no budismo pode ser chamada de uma elevada forma de samadi e no ocidente é descrita como ‘um êxtase consciente e sensível’. O anjo da guarda pode também manter um conselho enviado para um aspirante por seus mentores espirituais; esse conselho pode ser relacionado com o tipo de meditação a enfocar, ou uma ligação que será útil fazer. O anjo mantém esse conselho na aura do aspirante até que o cérebro físico finalmente o receba.

Esses anjos proporcionam uma forma de projeção atmosférica para ajudar as pessoas através das provas e atribulações da vida, apesar de nenhuma ajuda que transcenda o estado cármico do indivíduo lhe ser dada.

Devas do Cerimonial


Existem seres que facilitam as cerimônias espirituais e o ritual. Eles entendem que o objetivo de uma cerimônia espiritual, é invocar e atrair energias de ajuda para os participantes e para seu meio ambiente. Eles entendem que o meditante ou o celebrante – estando ele ou ela consciente ou não disso – está criando um canal através do qual podem fluir energias, como sejam as de pura iluminação, amor incondicional e propósito definido.

Faz parte do trabalho desses devas ajudar a construir esse canal, realçar e acentuar a graça e a energia que fluem. Esses devas são de diversos refinamentos e são conhecidos na Eucaristia Cristã como: ‘Anjos, Arcanjos, Tronos, Dominações, Príncipes, Virtudes, Potestades, Querubins e Serafins com todas as hostes celestes louvamos e elogiamos...’ C.W. Leadbeater também escreveu matéria sobre assunto dos devas do ritual.



Esses devas do cerimonial, trabalham na união da intenção espiritual e a aspiração do ritualista na manifestação ativa. Eles ajudam a criar o contato com a fonte de bênçãos ou a energia que está sendo invocada; e ajudam a construir as estruturas de energia multidimensionais que ampliam e acentuam o fluir e a irradiação da energia e da graça. Se um indivíduo sempre deliberadamente coloca dentro de sua meditação um período de canalização e irradiação de energia de ajuda, então um deva, como seja um querubim, estará sempre lá para ajudar nesse trabalho silencioso.

Há além do mais, devas que estão associados e trabalham com a energia de planetas específicos ou constelações astrológicas e determinados raios. Há uma tradição ocidental de trabalhos ritualísticos cujo propósito é experimentar e comunicar-se especialmente com esses anjos e com as energias que eles cuidam.


Fonte: Livro com título original: Devas, Fairies and Angels A modern approach.

Em português:   Devas, Fadas e Anjos – Uma abordagem moderna – William Bloom. Editora SHAKTI.

Direitos adquiridos para língua portuguesa no Brasil pelo GRUPO 4.

Bênçãos e Luz!
Namastê!



Nenhum comentário:

Postar um comentário