background

1 de abril de 2017

ERIANE, RAINHA DOS ELFOS



Junho de 2016


Eu sou Eriane, rainha da cidade dos elfos, nomeada Eridan.


Permitam-me honrar, primeiramente, nossa reunião.


... Silêncio...

Como vocês o viveram, o contato vibratório entre vocês e nós torna-se cada vez mais sensível, mais real, eu diria, para vocês e para nós.
Nossa percepção comum, é claro, pode apresentar vários níveis de comunicação, mas, de uma maneira geral, nossa comunicação torna-se mais sensível.
Eu sei que certo número de elementos foi-lhes dado pelas forças da Confederação Intergaláctica dos Mundos Livres, há algum tempo.
Os elfos mensageiros transmitiram-nos, há muito pouco tempo, na saída do que vocês nomeiam o mês de maio, em seus últimos dias, certo número de elementos.

Nossas cidades, vocês o sabem, talvez, são lugares de presença permanente da quinta dimensão sobre a Terra e, isso, qualquer que seja o infeliz confinamento que vocês, humanos, de onde quer que venham, tenham vivido.
Nós estamos, mesmo se esse não seja o termo exato, situados em pontos de invaginação da quinta dimensão no mundo de superfície, em lugares nos quais a água, os vegetais, a pedra, estão muito presentes.

A partir do fim do mês de maio, mesmo se vocês não tenham acesso à nossa comunicação, de momento, onde quer que vocês estejam, pode acontecer, ao penetrar nossos territórios, de sentir, do mesmo modo que isso se tornou possível para vocês, mas de maneira, desta vez, mais extensiva, de beneficiar-se da energia e da consciência, que os faz receber uma ducha de Luz adamantina ao nível de sua Coroa do ponto mais alto de seu corpo, ou seja, sua cabeça.
Não se surpreendam, portanto, se, quando de seus passeios nesses ambientes naturais, aconteça-lhes, sem razão visível, de sentir essa chuva de Luz que lhes cai sobre a cabeça.
Isso não será mais a bênção dos elfos, mas, simplesmente, sua penetração em um espaço específico, algumas de nossas cidades, mas, sobretudo, a qualidade da Luz que está presente nesse lugar.

O comandante dos Anciões já havia estipulado que havia, nesses lugares específicos, uma densificação da Luz tal, que é, exatamente, o que vocês sentirão e viverão, mesmo sem sentir-nos, mesmo sem ver-nos, nós, elfos.
Vocês sabem, a borda de nossas cidades representa um ponto de junção do céu e da Terra.
Devido à presença da Luz e das diferentes irradiações que perfuraram as camadas isolantes da Terra, esses lugares estão, agora, totalmente ativos.
Para alguns de vocês, será a partir desses lugares que vocês se juntarão à sua Eternidade, sem ter necessidade de outro veículo que não o que foi nomeada a Merkabah, quer isso se produza levando seu corpo ou deixando seu corpo no lugar.
Há, portanto, a partir de agora, um contato privilegiado além de nossas presenças, nos arredores de nossas cidades, que lhes permite imergir, se posso dizer, na bênção da Luz, na benção e na realização de sua Liberação ou de sua Ascensão, a título individual.

Nós, elfos, colocamos à sua disposição os arredores de nossas cidades.
Elas não serão encontradas de outra maneira que não por acaso e a sincronia de nossos reencontros em seus passeios.
Se vocês tiveram a chance, até agora, de sentir essa bênção, saibam que lhes bastará retornar a esses lugares para viver a Liberação.
Isso é, também, possível, é claro, por outras vias, eu diria, ao nível dos povos da natureza nomeados dragões, mas isso é muito mais acessível, mesmo se seja diferente, nos arredores de nossas cidades.

Para inúmeros de vocês, vocês vão constatar, ao passear nesses ambientes específicos da natureza, mesmo sem tê-los imaginado, até agora, bastará aproximar-se desse lugar para, verdadeiramente, sentir e viver o que deve acontecer para vocês.
Eu diria, mesmo, que, de algum modo, se seus passos levam-nos aos arredores de uma cidade Élfica, vocês viverão elementos importantes, concernentes à sua liberação individual e sua liberação coletiva também e, para alguns de vocês, diretamente, em relação à sua Ascensão.
Nada há a fazer, nada há a pedir, simplesmente, estar presente, fisicamente, nesses lugares, no acaso de seus passeios ou nos lugares que lhes são conhecidos por abrigar os elfos.

Nada mais há a fazer do que ter-se ali, em meditação, em oração, mas a oração do coração, aquela que nada pede, simplesmente, sua Presença, e banhar-se, de algum modo, nesses estados multidimensionais.
Mesmo entre aqueles de vocês que, até agora, jamais sentiram a vibração da Luz autêntica, ser-lhes-á dado aproximar-se dela, ser-lhes-á dado reencontrar o que vocês são com mais evidência e facilidade, um pouco do mesmo modo que existem, para vocês, minerais, exercícios, diferentes formas de yoga que lhes permitem purificar ou aliviar sua condição efêmera.
Independentemente da água dos elfos há, geograficamente, nesses lugares específicos, uma capacidade de regeneração e de Ascensão, para cada um de vocês, que lhes é oferecida.

Os elfos viajantes pediram-nos, então, para não mais mascarar nossas presenças e nossas cidades, sobretudo em seus arredores, para que quem quer que passe por ai, por acaso ou por intenção, reencontre-se a viver experiências, eu diria, mesmo, estados que, até agora, não eram suspeitados, mesmo, para a maior parte de vocês.
Eu repito que isso é independente da abertura de suas Coroas, que isso é independente da presença da Onda do Éter e que esse presente corresponde à realidade do processo em curso para a Terra.
Nada peçam, se vocês conhecem esse lugar ou outros lugares, coloquem-se, simplesmente, ali, e nada façam, meditem, orem com o coração e esperem.

Assim, foi-nos pedido, pelo conjunto da Confederação Intergaláctica dos Mundos Livres, para desmascarar os arredores de nossas cidades, não mais ocultá-las pelos processos mágicos que nós empregamos, mas, sim, levantar todas essas barreiras, para que cada irmão e irmã humano que se aproxime desse lugar seja tocado pela Graça.
Isso vai, aliás, reforçar-se, progressivamente e à medida das semanas, e tocará um pico, se posso dizer, de intensidade, no fim de seu mês de setembro.
Esse é nosso modo, nosso, dos elfos, de favorecer a Liberação coletiva da Terra e, a título individual, permitir-lhes imergir em sua futura dimensão de vida, qualquer que seja ela, mas na qual não há mais confinamento e limites.

Aí está, simplesmente, o que eu tinha a dizer-lhes.
Permitam-me, agora, aportar até sua Presença, aqui ou alhures, a mesma bênção da Luz que aquela que vocês encontrarão nos arredores de nossas cidades.
Eu terminarei por essas palavras, e o Amor inteiro e pleno da criação e de todo mundo acompanha-os, doravante.
E, isso dito, além de toda presença exterior, que lhes mostra, a si mesmos, em definitivo, o coração que vocês são, em qualquer aparência que vocês se apresentem e em qualquer estado de sua consciência.

Aí está o que eu tinha a transmitir-lhes.
Permitam-me terminar por essa famosa bênção, onde quer que vocês estejam, ao ler-me, ao escutar-me, ao ouvir-me, aqui e por toda a parte.

... Silêncio...

Essa forma de bênção pela Luz evoca, é claro, a Água do Mistério, o feminino sagrado, a compaixão do coração e a compaixão da própria Luz.
É isso que lhes é oferecido.

Eu abençoo, por minha vez, sua Presença e seu coração, e eu lhes digo: certamente, onde quer que vocês estejam, vão à natureza, deixem-se guiar, e vocês cairão sobre nós e nos vórtices.

Eu sou Eriane, rainha dos elfos de Eridan.
Erin saúda-os, também.

Nós os amamos sem condição, em sua Eternidade desperta ou em despertar.

Povo humano, nós lhes dizemos até muito em breve, em nossos lugares e em nossos corações.

... Silêncio...

Eu os amo.
Até logo e até muito em breve, em nossos lugares.

... Silêncio...

Minhas últimas palavras: eu esclareço que esse é um anúncio independente de qualquer outro, feito pelo conjunto do povo Élfico.


Então, até muito em breve.


Fonte primária: https://lestransformations.wordpress.com/

Fonte secundária: http://leiturasdaluz.blogspot.com.br/2016/06/eriane.html

*******

Gratidão amada Eriane pela linda mensagem! Eu a saúdo em Amor e Beleza!

Bênçãos e Luz!
Namastê!


Um comentário:

  1. Um vez, em uma cachoeira linda cercada de verde, senti meu chákra coronário esquentar muito, parecia que ia me queimar, mas não me machucou...pode ter sido uma dessas chuvas de luz que ela mencionou!

    ResponderExcluir

Imprimir ou Salvar em PDF